17 de Março de 2009 - 18:53
SOJA
Mercado de soja fica parado, mas Bahia mostra bom preço

O mercado interno da oleaginosa não apresentou nenhuma mudança relevante nesta terça-feira (17). Apesar do início das colheitas em algumas regiões do Sul, as trocas continuaram fracas. No Centro-Oeste, o obstáculo que atrapalhou boa parte das trocas foi a chuva. Em compensação, houve agito no mercado no Mato Grosso.

Ontem na Bahia, apesar da indicação de R$38,00 por saca, houve negócios a R$ 40,00 em algumas regiões. Hoje, as trocas foram mais fracas, com a saca sendo tratada a R$ 40,50, com pagamento imediato. Para o futuro, a ideia foi de R$ 41,00, para pagamento no dia 20 de maio. O melhor negócio segundo corretores da região, foi a venda de 100 mil sacas a R$ 40,50. No Maranhão, apesar das constantes chuvas, a oleaginosa continua firme e foi tratada a R$ 39,00. Segundo corretores da região, as trocas desta terça-feira foram menores que ontem, e o melhor negócio foi fechado a R$40,00 a saca. No Piauí, com a alta na Bolsa de Chicago, os negócios não foram tão ruins e a saca foi tratada a R$40,00. Para o mercado futuro, a ideia foi R$40, 50, com pagamento em 29 de maio.

No mercado mato-grossense, a presença de um forte comprador agitou o mercado. No Oeste, bons volumes foram trocados a R$ 37,00 em Campo Novo dos Parecis e a R$ 38,00 em Sapezal. Em Primavera do Leste e Rondonópolis, embora com menos intensidade, negócios foram vistos a R$38,50 e a R$39,50, respectivamente. No médio norte, poucos produtores se renderam aos R$3 6,00 ofertados em Sorriso e aos R$36,50 ofertados em Lucas do Rio Verde. Em Canarana, apenas valor nominal de R$ 38,00.

No Mato Grosso do Sul a terça-feira (17) foi de bastante movimentada no mercado da oleaginosa, sendo que os melhores preços pagos aos produtores foram praticados por compradores que destinam o produto para exportação. Em Chapadão do Sul o preço chegou a R$ 42,00 para o grão com embarque imediato. Em Dourados os preços variaram entre R$ 40,50 e R$ 42,00 e R$ 41,5 em Campo Grande. Em São Gabriel do Oeste, preços na casa dos R$ 41,00.

No estado de Goiás, praticamente não houve alteração nos preços praticados na região de Rio Verde, onde o grão com entrega imediata foi tratado a R$ 41,00 e a R$ 40,00 para entrega até o final do mês. Em Itumbiara, o preço balcão era R$ 41,00. Em Chapadão do Céu a saca foi comercializada a R$ 42,00 no mercado disponível.

As negociações em São Paulo foram fracas. No Porto de Santos, a soja foi tratada a R$47,50, e no melhor momento chegou a R$48,60. No total, foram negociadas 600 toneladas no estado inteiro. Para o futuro, não se falou em nenhum valor. No interior do estado a saca disponível foi tratada a R$42,00.

A chuva atrapalhou as negociações com oleaginosa em Minas Gerais. Como não houve colheita, o volume de oferta diminui e, consequentemente, poucas trocas foram realizadas. Em Uberaba a soja foi tratada a R$ 41,50 FOB.

No Paraná, o mercado foi fraco, com poucas negociações. Como ontem, comprador e produtor resolveram ficar de lado, sem realizar trocas. Em Cascavel, a saca da oleaginosa foi tratada a R$45,00.

Em Santa Catarina as negociações foram fracas. A oleaginosa foi tratada a R$ 45,0. Para o mercado futuro, falava-se em R$42,00. As trocas só começam mesmo em abril, quando as colheitas forem realizadas.

O mercado da oleaginosa no Rio Grande do Sul não foi forte nem fraco. Segundo corretores da região, em algumas horas do dia as trocas ficaram fortes, mas em outras nada acontecia. O negocio começa a ficar quente na região daqui a algumas semanas, pois a colheita começou a ser feita agora. Em Rio Grande a saca foi cotada a R$ 47,00.

* Colaboraram Marina Graebin e Rodrigo Nunes

Por Lucas Marins
  
ASSINANTES
login
senha
Lembrar login

CANAIS

LINKS EXTERNOS

ASSINATURAS

AJUDA